Pesquisadores baianos criam sistema que ensina programação através de narrativas interativas

Autor(a):

Projeto tem como objetivo ensinar a linguagem de programação de maneira leve e didática  
Hoje o mercado de programação é uma das áreas mais aquecidas no país. Segundo a startup GeekHunter, as vagas no setor de tecnologia da informação (TI) tiveram um aumento de 310% só no ano de 2020. Apesar disso, aprender linguagem de programação não é uma tarefa simples. Por isso, os alunos Natália Pinheiro e Euler Lima, orientados pela professora Maísa Lopes, desenvolveram a Biblioteca de Programação NineJs, um sistema para ensinar a programar de maneira leve e didática.

O projeto, que tem o apoio da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), une a programação com narrativas interativas. O intuito é fazer com que o estudante aprenda de uma forma diferente. “O objetivo é desenvolver uma história e depois programar para que o usuário possa interagir com ela, decidir o rumo da história. O legal é que saímos um pouco das atividades tradicionais de programar que envolvem apenas problemas matemáticos e mostramos a necessidade do pensamento lógico em todas as áreas da nossa vida”, explica Maísa Lopes. 

A Biblioteca de Programação NineJs, que tem o Certificado de Registro de Programa de Computador, concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), é focada no público iniciante. “Pegamos o JavaScript, que é uma linguagem muito popular e ensinamos programação. Então, o aluno não aprende uma linguagem só para fazer narrativas interativas, ele aprende o JavaScript. A pessoa pode usar o conhecimento para resolver outros problemas”, diz Natália Pinheiro.

A estudante destaca que o maior diferencial do projeto é incentivar o aluno a usar a criatividade. “Quando aprendemos a programar, fazemos exercícios como somar um mais dois ou dizer a raiz quadrada de um número. O diferencial de se aprender com as narrativas interativas é que a pessoa necessita criar e planejar, já que o estudante precisa pensar em uma história e seus desdobramentos. Além disso, os códigos estão disponíveis em português, diferente de outros programas, que utilizam o inglês”.  

O NineJs é um código aberto e qualquer pessoa pode contribuir. Apesar de ter funções já disponíveis, um sistema mais avançado ainda será desenvolvido pelos criadores. Natália garante que o grupo está  desenvolvendo um sistema onde o aluno poderá criar uma conta para ter acesso a exercícios e materiais sobre programação aplicadas a narrativas interativas. A Biblioteca Nine pode ser acessada pelo endereço https://github.com/natalhando/NineJs. 

Bahia Faz Ciência   A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB) estrearam no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria e da Fundação. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × um =