Como escolher ações? Aprenda a investir na Bolsa!

Autor(a):

Quando descobrimos que, ao comprar uma ação, nos tornamos sócios daquela empresa, a responsabilidade aumenta, não é mesmo? Afinal, ao efetuarmos a compra, podemos nos tornar votantes das assembléias de negócio ou ganhamos uma parcela dos lucros desta companhia. Por isso, é extremamente importante que nós saibamos como escolher ações!

Essa “pressão” diferencia o jeito que nos tornamos acionistas do modo que escolhemos os nossos investimentos de renda fixa. Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs), por exemplo, são escolhidos, principalmente, pela sua rentabilidade e não pelo o que a instituição representa. 

Se você ainda não sabe como escolher ações para investir, fique tranquilo! Este texto foi feito especialmente para você. Ao longo do artigo, vamos abordar alguns assuntos que poderão clarear a sua visão sobre como escolher ações. 

Além de aprender um pouco mais sobre o mundo da renda variável, você vai saber como:

  • começar a investir em ações;
  • escolher uma ação pela valorização ou pelos dividendos;
  • encontrar a liquidez de uma ação;
  • escolher entre empresas públicas ou privadas.

Esperamos que você saia deste texto preparado para colocar a mão na massa no home broker da sua corretora de valores preferida!

Investir em ações: primeiros passos

Antes de comentar sobre como escolher ações para investir ou até mesmo de dar algumas dicas de ações, precisamos falar sobre três passos importantes para o investidor iniciante. Sem eles, pode ser que você perca dinheiro ou acabe frustrado com a renda variável. 

Conheça o seu perfil de investidor

Se você decidiu seguir adiante no mundo dos investimentos e começar a investir em renda variável, você deve estar ciente do conceito de “perfis de investidores”, não é mesmo? Afinal, esse é o termômetro que indica se você está pronto para aplicar na bolsa de valores. 

Por isso, é impossível dar dicas de ações sem antes reforçar a importância sobre o seu perfil de investidor. Basicamente, é ele que afirma se você está preparado para as variações do mercado da bolsa ou não. 

Se o seu perfil de investidor é o “conservador”, a bolsa de valores, infelizmente, ainda não é para você. Afinal de contas, você ainda precisa ter a segurança de que sua aplicação irá gerar apenas lucros, e não perda de capital. 

Os perfis moderados e arrojados, por suas vezes, já estão preparados para encarar as oscilações da bolsa. Além disso, vocês estão aptos para aceitar os riscos que a renda variável impõem aos seus investidores. 

Siga os seus princípios

O segundo passo importante para saber como escolher ações é algo mais subjetivo do que o seu perfil de investidor. Neste caso, estamos falando sobre os seus princípios. Você deve estar se perguntando: mas por que as minhas crenças impactam na hora de investir em ações?

Para responder essa pergunta, temos que voltar ao começo deste texto. Você se lembra que nós nos tornamos sócios das empresas que temos ações? Então, você não vai querer criar uma sociedade com uma companhia que não compartilha com os mesmos princípios que os seus, não é mesmo? 

Por exemplo: você é uma pessoa que luta contra o desmatamento e apoia causas naturais. Neste caso, você irá dar o seu dinheiro para uma empresa que foi responsável por desastres que devastaram a natureza local, não é mesmo? 

Por isso, antes de investir uma ação para adicioná-la em sua carteira, conheça os princípios da empresa e veja se ela contempla os seus ideais.

Entenda que bolsa de valores é investimento de longo prazo

Muitos investidores são atraídos pela renda variável com a possibilidade de enriquecer de maneira fácil e em pouco tempo. Entretanto, isso não é a regra, é a exceção. Antes de investir na bolsa, você deve estar disposto a entender que este é um investimento de médio a longo prazo. 

Existem, sim, pessoas que investem em ações para lucrar durante o passar do dia. Essa técnica é chamada de “day trade”. Nela, os investidores compram uma ação na baixa para vendê-la, no mesmo dia, quando os preços estão maiores. 

Entretanto, os traders profissionais, ou seja, que conseguem tirar um lucro verdadeiro dessas operações, estão em constante aprendizado. Para eles, o day trade é uma profissão que demanda atenção em horário integral. 

Por isso, para a grande maioria dos investidores, as ações são investimentos de médio a longo prazo. Ou seja, são ativos que ou vão valorizar ao longo do tempo ou proporcionarão bons dividendos ao longo dos anos. 

Como escolher ações: colocando a mão na massa

No tópico anterior, colocamos os três tópicos que devem ser analisados antes de decidir investir em renda variável. Em um segundo momento, depois que você já aceitou os três pontos anteriores, existem outras características das ações que devem ser levadas em consideração. 

Dentre elas, está a facilidade de vender a ação, como você ganhará um retorno financeiro com este ativo e, é claro, sobre o tipo de empresa que você está investindo. Ficou confuso? Calma, que a gente explica tudo para você!

Valorização ou dividendos

Se você é iniciante no mundo da renda variável, talvez não saiba como você pode ganhar dinheiro com estes investimentos. Afinal de contas, eles não rendem conforme da Taxa Selic ou com o IPCA, igual aos títulos do Tesouro Direto. 

Nas ações, você pode ganhar dinheiro de dois jeitos. O primeiro deles é pela valorização, ou seja, comprar por um preço menor e vender por um valor maior. Afinal de contas, o preço das ações podem variar muito conforme o passar dos dias, meses e anos. 

O segundo deles é pelos dividendos, que são as bonificações mensais, semestrais ou anuais que você recebe por investir naquela ação. Esse dinheiro é uma parte do lucro da empresa que é destinada para os acionistas. 

Portanto, se você deseja comprar uma ação que tenha uma certa valorização no mercado, você deve apostar nas small caps. Elas são companhias que estão em processo de crescimento e podem valorizar – e muito – ao longo dos anos. 

Caso você espere viver de dividendos no futuro, a melhor opção para você são as blue chips, empresas que já são gigantes da bolsa de valores e que possuem um bom pagamento de dividendos ao longo do ano. 

De olho na liquidez

Outro ponto que pode ajudar, e muito, a como escolher ações é a liquidez. Você deve estar ciente de que, no mundo dos investimentos, esse termo significa a facilidade de transformar o seu ativo em dinheiro. 

Na renda variável, a liquidez representa a facilidade em se vender uma ação. Imagine o seguinte cenário: você está dividido entre comprar uma ação da Magazine Luiza, um dos maiores conglomerados de lojas do Brasil, e uma outra empresa, a COMPANHIA A, que não é muito conhecida, mas está prometendo um bom crescimento nos próximos anos. 

Se o ponto de desempate for a liquidez, você deve levar em consideração que existem mais investidores interessados em comprar ações da Magalu, que já é conhecida, do que da outra empresa. 

Por isso, comprar ações de small caps pode ser arriscado no quesito liquidez. Ou seja, pode ser mais difícil transformar esse ativo em dinheiro. Isso não acontece muito com as blue chips, que são mais atrativas para os investidores.

Pública ou privada

Este último ponto está, também, muito atrelado ao item que falamos sobre seguir os seus princípios. Se você é iniciante no mundo das ações e deseja aprender como escolher ações para investir, você deve entender que existem dois tipos de títulos na bolsa: as empresas públicas e as empresas privadas. 

A Petrobras e a Eletrobras, por exemplo, são grandes empresas públicas que possuem seu capital aberto na Bolsa de Valores brasileira, a B3. Por outro lado, a Magazine Luiza e a Ambev são companhias privadas que também abriram seu capital para o mercado. 

Antes de comprar uma ação de empresa pública, é preciso analisar como está o cenário político do nosso país. Afinal de contas, as falas e ações dos nossos representantes do Governo afetam diretamente os preços das ações das companhias públicas.

No caso das empresas privadas, precisamos analisar se a mesma está envolvida em algum escândalo ou se possui dívidas que possam afetar a companhia no futuro. 

Dicas de ações para uma carteira plural

Se você chegou até aqui, deve ter aprendido como escolher ações para investir. Esse é um ponto muito importante para a sua jornada na renda variável. Entretanto, existe um ponto final que é muito importante na hora de comprar ações: a diversificação

Precisamos, antes de tudo, diversificar nossas ações. Afinal, não é interessante colocar todo o nosso salário em um só lugar. Por isso, separamos algumas dicas de ações para deixar a sua carteira diversificada. São elas:

  • invista em mais de um setor importante para a vida, como água e luz;
  • invista em Exchange-traded fund (ETF), que são um conjunto de ações;
  • invista em empresas que, mesmo em crise, se fortalecem.

Com essas dicas, você está apto a entender como escolher ações que venham para somar na sua carteira de investimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três × 5 =