Como melhorar a indigestão com óleos essenciais

Autor(a):

Problemas digestivos são um fenômeno comum. Os sinais de problemas digestivos podem ser qualquer coisa, desde estômago inchado, formação excessiva de gases, constipação, regurgitação ácida e muito mais.

Um sinal particularmente claro de indigestão é se você puder ver pedaços de comida nas fezes, como um pedaço de brócolis ou algo semelhante. No entanto, existem certas matérias-primas que nós, humanos, temos dificuldade em decompor, como milho, nozes, sementes e outras matérias-primas muito ricas em fibras, pelo que estas podem ser vistas como uma exceção à regra.

Estresse, falta de enzimas digestivas, níveis baixos ou diluídos de ácido estomacal e uma flora intestinal desequilibrada são causas que podem causar má digestão.

Ao comer alimentos em paz e sossego, mastigar os alimentos adequadamente e suplementar com uma boa enzima digestiva em combinação com a refeição pode ajudar com os sintomas que a má digestão pode causar.

Abaixo eu link para algumas boas dicas sobre enzimas digestivas e suplementos de ácido estomacal que você pode usar para facilitar sua digestão.

A tarefa do sistema digestivo

Querida criança tem muitos nomes. Digestão, digestão ou como é comumente chamada… digestão.

O sistema digestivo tem a função de quebrar os alimentos em partículas muito pequenas que podem ser absorvidas pelo corpo e transportadas para suas respectivas áreas de uso.

Quando você pensa no sistema digestivo, é fácil pensar apenas no estômago e nos intestinos. No entanto, o processo digestivo começa alguns passos antes.

O primeiro passo já começa na hora de escolher os alimentos.

Para que o sistema digestivo funcione de forma ideal, é importante dar-lhe as melhores condições. É importante primeiro escolher uma boa comida, mas também certificar-se de que o ácido estomacal e as bactérias intestinais estejam em equilíbrio. Mas para entender por que isso é importante, é importante saber como funciona o sistema digestivo em geral.

As diferentes fases da digestão

Pode parecer que as escolhas alimentares estão fora do sistema digestivo, mas o fato é que, mesmo antes de colocarmos comida na boca, fizemos uma troca se isso é algo que pode ser comido e efetivamente convertido em partículas úteis para o corpo. ou não.

Técnicas como cozinhar alimentos também entram em cena, certas matérias-primas precisam ser preparadas para que o corpo consiga cuidar dos alimentos e em alguns casos a matéria-prima pode até ser perigosa em seu estado bruto e prejudicar a digestão.

Alguns ingredientes contêm toxinas, antinutrientes, que desaparecem do cozimento.

Cozinhar também contribui para a quebra de fibras, como uma espécie de processo pré-digestivo, o que facilita o trabalho do sistema digestivo. Exemplos de matérias-primas que devem ser preparadas são:

  • A maioria das leguminosas (por exemplo, feijão e grão-de-bico e mais)
  • Batata
  • Plantas crucíferas (couve-flor, couve de Bruxelas, brócolis, etc.)

Quando você mastiga o alimento, ele é triturado e misturado com enzimas digestivas. Quando você engole, o alimento entra no estômago onde é misturado com ainda mais enzimas e ácido estomacal, que é um ácido altamente corrosivo (ácido clorídrico) cuja tarefa é ajudar na quebra de proteínas, mas também matar parasitas e bactérias.

O ácido gástrico é produzido por células específicas na parede intestinal, o ácido gástrico decompõe as proteínas em aminoácidos para posterior transporte para o intestino delgado para absorção.

Quase todos os alimentos são absorvidos no intestino delgado, exceto álcool e açúcar refinado, que podem ser absorvidos pelo corpo diretamente no estômago. Beber grandes quantidades de água enquanto come pode ser uma má ideia, pois dilui temporariamente o ácido estomacal e pode facilitar a fuga de bactérias, parasitas e a quebra de proteínas demora mais.

As partículas de alimentos que não são absorvidas no intestino delgado são transportadas para o intestino grosso e depois para fora do corpo.

Como os óleos essenciais ajudam na indigestão

Os oleos essenciais têm muitos efeitos benéficos para a saúde e quando se trata do intestino, somente alguns deles se tornam eficazes.

É sim possível tratar certos problemas estomacais e intestinais com óleos essenciais, porém, por serem muito concentrados, é necessário fazer uso deles junto de um difusor.

O óleo de gengibre auxilia a combater a náusea e problemas digestivos. Já o óleo de hortelã-pimenta ajuda muito na função digestiva, pois contém mentol.

Outro óleo que pode melhorar as dores no intestino é o óleo de fennel, que ao ser adicionado a uma massagem no abdômen ou inalado através de um difusor ajuda a aliviar o desconforto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

13 + nove =